top of page
Search

No dia dos namorados falamos em segundas oportunidades… nos negócios!

Todos gostamos de ver, na vida em geral e na profissional em particular, uma linha contínua e ascendente no que respeita a sucesso, satisfação naquilo que fazemos, retorno financeiro associado ao nosso trabalho.


Esta expectativa, sendo válida porque nos ajuda e motiva a querer mais e melhor, pode ser irrealista e causar alguma frustração.


Há escolhas infelizes de projetos que abraçamos, há projetos que julgávamos conseguir realizar com elevada taxa de sucesso e que afinal precisamos de ajuda para o implementar, há momentos em que não estamos no nosso melhor e isso reflete-se no resultado final.


O que fazer quando a nossa “linha ascendente de evolução profissional” parece estar a ir no sentido contrário ou a fazer círculos caóticos sem qualquer direção?


Primeiro: Aceitar!

As expectativas e a realidade têm pouca probabilidade de corresponderem.

É o que é!

Não vale a pena ficarmos emocionalmente ligados ao acontecimento como uma falha pessoal ou com uma crença que o impacto desse insucesso marcará demasiado a nossa vida profissional.


Segundo: Analisar a situação e retirar uma aprendizagem.

O que é que aconteceu / está a acontecer para que o resultado seja este? O que posso fazer de diferente a partir do local onde me encontro agora? Que ações concretas posso implementar para tentar que a linha volte a ser ascendente?


Terceiro: Se necessário, ter a capacidade de enfrentar com transparência e coragem os obstáculos.

Se precisar de pedir ajuda a alguém, peça! Sentindo a responsabilidade da sua parte no processo, nada como saber identificar quem pode desbloquear um tema, enfrentá-lo e seguir em frente.

Se for preciso enfrentar um colega, uma chefia, um cliente, no sentido de partilhar que algo não está a correr como o previsto: enfrente! Só tornando o problema transparente e visível para todos o tornará alvo de solução. Quanto mais rápido formos a assumir o que não está bem, mais rápido estaremos no sentido da sua solução.


Poderia dar para fazer algumas analogias deste artigo com uma relação amorosa que se quer num “sentido ascendente” e que afinal está completamente ao contrário do que se esperava.


Tanto numa como noutra situação nada como enfrentar a realidade e agir.

Só assim teremos a oportunidade e a capacidade de fazer melhor para a próxima.


Vamos a isso?

GO!



Comments


bottom of page